EDITOR CHEFE : Alexandre França
EDIÇÃO E FOTOS EXCLUSIVAS : André Reis
ILUSTRAÇÕES : Elizabeth Shimaru, Hélio de Lima
COLABORAÇÃO : Vânia Beatriz A. Vilela

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

QUE TIPO DE CONSUMO VOCÊ FAZ?

Por Alexandre França

Que tipo de consumo vc faz?
Talvez seja difícil responder a essa pergunta. Não dá para termos a inocência que acharmos que somos donos de todas as nossas escolhas. O mundo é bem mais complexo em suas redes e teias capitalistas, econômicas, políticas e mercadológicas. Assim, muitos passam a vida sem pensar sobre o assunto, vão sendo levados numa grande correnteza de interesses alheios, incorporando tais valores como se fossem seus (o que é puro engano). Falsas “necessidades” vão surgindo a toda hora para que esse imenso “tobogã”de consumo nunca chegue ao fim. Tudo vai conspirando para acharmos que viver é consumir.
Atualmente, outro tanto de pessoas já consegue vislumbrar algumas saídas dessa tensa estrada prestando atenção na origem dos produtos, na maneira como ele foi produzido, no respeito à natureza, na valoração real da mão de obra, no impacto ambiental, no resíduo deste objeto no futuro, na sustentabilidade, na “saúde” das coisas....
Eu penso ainda, em como consumir coisas que melhorem a qualidade de vida daqueles com quem vivo socialmente. É possível pensar que posso valorizar e apoiar o artesão local, o artista próximo, a costureira conhecida, o agricultor da chácara vizinha, o pedreiro bom de serviço.. e assim por diante.... Qual o sentido de enriquecer cada vez mais as grandes corporações? De dar um valor aquilo que de fato não me pertence? De nos sentirmos dependentes daquilo que não nos acrescenta, pelo contrário, apenas nos subtrai ?

Podem dizer que estou “puxando a sardinha para o meu lado “ pois faço parte deste grupo que citei. Mas é justamente por estar nele e acreditar no que faço, é que resolvi escrever este post. Nesta sexta feira , dia/noite/semana de interminável “Black Friday” ( que canseira !!), onde uma desova de tudo encalhado é empurrada na vida das pessoas, vale associar a imagem do lixo matando as praias como num grande tsunami de consumo.














Nenhum comentário:

Postar um comentário