EDITOR CHEFE : Alexandre França
EDIÇÃO E FOTOS EXCLUSIVAS : André Reis
ILUSTRAÇÕES : Elizabeth Shimaru, Hélio de Lima
COLABORAÇÃO : Vânia Beatriz A. Vilela

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

"ORIGEM DO CAFÉ"

por André Reis

O café é originário das terras altas da Etiópia e difundiu-se para o mundo através do Egito e da Europa. Mas, ao contrário do que se acredita, a palavra "café" não é originária de Kaffa — local de origem da planta —, e sim da palavra árabe qahwa, que significa "vinho", devido à importância que a planta passou a ter para o mundo árabe.

Uma lenda conta que um pastor chamado Kaldi observou que seus carneiros ficavam mais espertos ao comer as folhas e frutos do cafeeiro. Ele experimentou os frutos e sentiu maior vivacidade. Um monge da região, informado sobre o fato, começou a utilizar uma infusão de frutos para resistir ao sono enquanto orava.

Parece que as tribos africanas, que conheciam o café desde a antiguidade, moíam seus grãos e faziam uma pasta utilizada para alimentar aos animais e aumentar as forças dos guerreiros. Seu cultivo se estendeu primeiro na Arábia, introduzido provavelmente por prisioneiros de guerra. O Iêmen foi um centro de cultivo importante, de onde se propagou pelo resto do Mundo Árabe.

Na Arábia, a infusão do café recebeu o nome de kahwah ou cahue (ou ainda qah'wa, do original em árabe). Enquanto na língua turco otomana era conhecido como kahve, cujo significado original também era "vinho". 

O café no entanto teve inimigos mesmo entre os árabes, que consideravam suas propriedades contrárias às leis do profeta Maomé. No entanto, logo o café venceu essas resistências e até os doutores maometanos aderiram à bebida para favorecer a digestão, alegrar o espírito e afastar o sono, segundo os escritores da época.

O café é um estimulante, por possuir cafeína — geralmente 80 a 140 mg para cada 207 mL dependendo do método de preparação.

Em alguns períodos da década de 1980, o café era a segunda mercadoria mais negociada no mundo por valor monetário, atrás apenas do petróleo. Minas Gerais é o estado com maior produção de café do Brasil.

No dia 24 de maio é comemorado o dia nacional do café.


COMO ADOÇAR

Qual é a melhor forma de adoçar? Para os baristas, ou seja, para quem conhece todas as sutilezas de gosto, o certo é tomar puro. Sem falar que ir devagar com o doce também ajuda na contabilidade calórica. Mas, se o seu paladar ainda não percebe a discreta doçura na xícara de um cafezinho puro, coloque a menor quantidade de açúcar possível ou apele para os edulcorantes artificiais.

A Universidade Estadual de Campinas, está investigando a interferência dos adoçantes no sabor do café. Em um estudo com mais de 200 voluntários, a equipe pôde observar que a sucralose é uma boa alternativa ao açúcar, já que não contém calorias e parece não afetar tanto as características de aroma e textura do preparado.


QUANTO TOMAR

A maioria dos especialistas sugere até 600 mililitros, o que corresponde a três ou quatro xícaras por dia. Para aqueles que têm dor de estômago, insônia ou palpitação, o melhor é bom ter cautela.

BENEFÍCIOS DO CAFÉ

Aumenta a disposição e o estado de alerta.

Reduz o risco de cirrose hepática, em um estudo do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, os cientistas avaliaram 766 pacientes que tiveram hepatite C e entre aqueles que bebiam mais de três xícaras de cafezinho por dia houve uma desaceleração no desenvolvimento da doença.

Previne cálculo na vesícula.

Aumenta o desempenho durante exercício prolongado.

Ajuda na remoção dos radicais livres.

Melhora a memória e desempenho no aprendizado, por isso é bem-vindo para quem está na escola.

Acelera o metabolismo.

Um trabalho da Universidade do Sul da Flórida, nos Estados Unidos, revela que, na massa cinzenta, a cafeína reduz os níveis de uma proteína chamada beta-amilóide, que, em concentrações elevadas, seria um dos principais estopins para o Alzheimer.


OS MAIS SABOROSOS CAFÉS DO BRASIL

Mogiana (São Paulo) - aroma pronunciado, de corpo médio, encorpado e acidez equilibrada. É uma excelente pedida para fechar uma refeição.

Sul de Minas - É doce, mas suave, tem aroma acentuado, corpo equilibrado e acidez cítrica. Seu gosto cai muito bem quando é servido com um bolo caseiro.

Cerrado mineiro - Seu sabor é doce e o aroma, intenso. É encorpado e com acidez equilibrada. Forma boa dupla com um pedaço de broa, por exemplo.

Bahia - Sabor doce, aroma marcante, corpo leve e acidez cítrica. Ideal para ser sorvido, até sozinho, em uma pausa à tarde.

Paraná - Bebida encorpada, com aroma intenso e baixa acidez. Um pão de queijo, salgado e mais gorduroso, é perfeito nesse caso.

Espirito Santo - Ótimo para acompanhar um petit four bem doce. Tem gosto adocicado, acidez e corpo equilibrados.


E pra finalizar, café com.....

pão de queijo, pipoca, pizza gelada, bolacha, pãozinho francês, sonho de valsa, pastel, waffle, queijo fresco, queijo curado, queijo, leite, bolo de fubá,pão com mortadela, do jeito que você quiser.

Hoje existe uma infinidade de possibilidades, na Irlanda tomam café até com whiskey.


Uma cerveja com um leve amargor, efeito estimulante do café e um aroma de limão, foi lançada em Hamburgo na Alemanha. Cada garrafa vem com um grão de café selecionado.


Um comentário:

  1. Muito legal. Eu sabia mais ou menos da história do café. Eu não curto muito em dias quentes. E não posso tomar toda hora porque uso muito açúcar, pois natural eu não gosto.

    www.cchamun.blogspot.com.br
    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir