EDITOR CHEFE : Alexandre França
EDIÇÃO E FOTOS EXCLUSIVAS : André Reis
ILUSTRAÇÕES : Elizabeth Shimaru, Hélio de Lima
COLABORAÇÃO : Vânia Beatriz A. Vilela

terça-feira, 23 de outubro de 2012

"O estudante Einstein"

por Rejane Paiva

As vezes é necessário desmistificar algumas ideias que vão sendo repassadas adiante sem qualquer pudor, sem que sua veracidade seja confirmada, até que se incorporam ao senso comum, tornando-se uma espécie de lenda urbana dos nossos tempos. Querem um exemplo? Quem nunca ouviu falar que Albert Einstein tinha notas horríveis na escola, e era um péssimo aluno? Então que tal olharmos para o certificado de conclusão do Matura (corresponde mais ou menos ao nosso segundo grau, preparatório para entrar no ensino superior)?

O jovem Albert Einstein- 1893.

Einstein nasceu em 1879 e após iniciar sua educação na Alemanha, veio para a Suíça com 16 anos e tentou entrar no Instituto Politécnico de Zurique, atual ETH (Eidgenössische Technische Hochschule Zürich), uma escola conceituadíssima de nível internacional que atualmente conta entre os seus membros nada menos que 21 detentores do Prêmio Nobel - Einstein entre eles. Recém chegado da Alemanha, teve a sua primeira tentativa de lá entrar frustrada. Inscreveu-se na Escola de Aargau para se preparar melhor e um ano mais tarde refez novamente os exames, sendo então aprovado aos 17 anos. Mais tarde, seria também professor no Politécnico. As notas aqui apresentadas foram obtidas durante esse ano preparatório em Aargau:

Certificado emitido pela Escola do Cantão de Aargau, Suíça, em 1896.

Portanto suas notas foram:

1.  Língua alemã e literatura- 5

2.  Língua Francesa- 3

3.  Língua inglesa- _____

4.  Língua Italiana- 5

5.  História- 6

6.  Geografia- 4

7.  Álgebra- 6

8. Geometria (geometria plana, trigonometria, geometria analítica e geometria sólida)- 6

9.   Geometria Descritiva- 6

10.  Física- 6

11.  Química- 5

12.  História Natural- 5

13.  em Desenho Artístico- 4 (desempenho anual)

14.  em Desenho Técnico- 4 (desempenho anual)

Assim, à primeira vista, realmente não parece nada bem...  Contudo, as pessoas se esquecem de considerar que o sistema de avaliação na Suíça vai de 1 a 6, sendo 6 a maior nota. Assim sendo, um 6 equivaleria a  muito bom, 5: gut o 5 a bom, 4: genügend 4 suficiente, 3: ungenügend 3 insuficiente,  2: schlecht ruim e 1: sehr schlecht 1 muito ruim. Vale ainda lembrar que uma boa nota neste caso só é atingida com muito esforço em provas dissertativas, nada se comparando ao nosso sistema que permite a múltipla escolha, que favorece  muitas vezes alguns acasos e situações de sorte. Não me parece nada mal que um aluno obtenha nota máxima em Física, Álgebra, História e em todas as Geometrias, e a segunda melhor nota em Literatura e língua alemã, Italiano, Química e História Natural. Quer dizer, 50% ele só obteve em uma disciplina (Francês), mas tinha uma boa proficiência em duas outras línguas.

Então, antes de nos apoiarmos no seu possível mau desempenho como justificativa para não nos esforçarmos nos estudos, mais certo seria nos exemplarmos na sua persistência em atingir seus objetivos. Apesar de recém chegado de outro país com outro sistema de ensino e da idade precoce, não acomodou-se com a primeira reprovação numa escola de excelência, voltando um ano mais tarde para vencer o mesmo obstáculo, alcançando notas excepcionais em Física e Matemática. Pouco mais tarde, seria professor nesta mesma instituição e noutras renomadas Universidades do país e do estrangeiro.


3 comentários:

  1. Gosto de Einstein também pelo vegetarianismo!

    ResponderExcluir
  2. Ele foi um gênio.
    O problema dele era comportamental. Inclusive, jogou uma cadeira na professora. Mas, superou tudo com sua incrível genialidade.

    www.cchamun.blogspot.com.br
    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir
  3. Um ótimo artigo! rs

    Digola

    ResponderExcluir