EDITOR CHEFE : Alexandre França
EDIÇÃO E FOTOS EXCLUSIVAS : André Reis
ILUSTRAÇÕES : Elizabeth Shimaru, Hélio de Lima
COLABORAÇÃO : Vânia Beatriz A. Vilela

terça-feira, 26 de novembro de 2013

"Guerra e Paz", de Cândido Portinari

por Cíntia Guimarães

A obra Guerra e Paz de Portinari, recém-restaurada, ocupa 28 placas que pesam 75 kg. Cada painel tem 10 metros de altura por 14 de largura. A exposição passou por Rio e São Paulo e fica em Belo Horizonte até o dia 24 de novembro, de onde segue para Paris. Depois da capital francesa, "Guerra e Paz" voltará à sede da ONU, em NY, onde poderá ser apreciada em sua plenitude.

Os painéis estão expostos no Cine Theatro Brasil (Na praça Sete, centro de BH), que teve o espaço todo reformulado e ganha espaço para diferentes apresentações artísticas. São sete andares, com o teatro principal com capacidade para 1.000 espectadores, um teatro com 200 lugares, duas galerias para exposições artísticas e sala multiúso para 650 pessoas.

Além de apresentar os painéis restaurados, a exposição reúne cerca de centena de estudos preparatórios de Portinari para "Guerra e Paz", em première mundial (nem o próprio pintor teve a oportunidade de vê-los em seu conjunto), tendo sido agraciada com o prêmio de Melhor Exposição do Ano pela Associação de Brasileira de Críticos de Arte - ABCA.

A exposição marca a despedida dos painéis no Brasil.

Circuito da Exposição:

Os painéis estão expostos no palco do teatro, após sair do Grande Teatro, o visitante percorre todos os espaços expositivos do Cine Theatro Brasil para a vista completa à exposição.
No Salão de Eventos estão expostos os estudos originais para "Guerra e Paz", além de uma centena de documentos históricos e objetos pessoais do pintor. De lá o visitante segue para o Pequeno Teatro, com a exibição de filmes exclusivos da exposição.
No Espaço Expositivo do teatro o escultor mineiro Sérgio Campos apresenta a instalação em Bronze do inspirada nos painéis "Guerra e Paz". A obra é parte integrante da série dedicada ao pintor Candido Portinari, intitulada "Projeto Palaninho - d`après Portinari, à qual o artista e dedica há 10 anos. Nessa instalação, as feras, presentes no painel Guerra, assumem seu caráter atemporal de metáfora contemporânea.
As obras de Portinari também inspiraram o Grupo Matizes Dumont à compor bordados sobre a textura de diversos tecidos. Três gerações da família mineira, de Pirapora, dedicaram-se durante dois anos a este trabalho, intitulado "Coração em Paz", em homenagem à Portinari. Essa exposição reúne 18 obras, desenho e pintura com agulhas e linhas definidos pela riscadura do irmão Demóstenes Vargas.







































Cíntia Guimarães



Um comentário: