EDITOR CHEFE : Alexandre França
EDIÇÃO E FOTOS EXCLUSIVAS : André Reis
ILUSTRAÇÕES : Elizabeth Shimaru, Hélio de Lima
COLABORAÇÃO : Vânia Beatriz A. Vilela

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

"OS EMBRULHOS DE JAVACHEFF CHRISTO"

por Alexandre França

O escultor Javacheff Christo nasceu na Bulgária, e estudou escultura na Escola de Belas-Artes de Sófia. Em 1958 já na França, conheceu a artista Jeanne-Claude de Guillebon com quem se casou e se associou profissionalmente. Realizou em Paris os seus primeiros trabalhos, um conjunto de objetos que denomina embrulhos e para os quais utiliza garrafas, caixas, roupa ou plástico.


Mudando para os Estados Unidos na década de 60, passa a ser reconhecido como artista americano. Em 1969 os seus trabalhos ganham maior escala e adquirem igualmente um caráter efêmero.


O trabalho "Costa Embrulhada", de 69, inicia o conjunto de grandes intervenções que o tornaram mundialmente conhecido.

Entre 1970 e 1972 realiza o Valley Curtain, que consistia numa grande tela laranja colocada entre duas encostas de um vale.

Quatro anos depois realiza, na paisagem árida da Califórnia, um projeto ainda mais vasto, o "Running Fence", o qual usa uma vedação em tela de nylon com cerca de cinco metros de altura e com uma extensão de trinta e oito quilômetros. 

Em outros grandes projetos, propõe o embrulho de ilhas na baía de Biscayne (Florida, 1983) e a colocação de enormes guarda-chuvas nas paisagens da Califórnia (1991). A eleição do ambiente natural como suporte ou objeto das suas ações o aproximam das tendências da Land Art. Os trabalhos em que embrulhava grandes objetos ou edifícios inteiros tornaram-se os mais famosos e mediáticos da sua carreira.

São exemplo as intervenções efêmeras na Pont Neuf, Paris, realizada em 1985, e no Reichstag de Berlim em1995.


Nenhum comentário:

Postar um comentário